checklist de viagem

Checklist de viagem: guia para não esquecer de nada (e viajar tranquilo)

by

A preparação para viajar é uma delícia: afinal de contas, é a hora de escolher o destino, montar o roteiro e já começar a sonhar com todas as novidades e momentos incríveis por vir. Por outro lado, principalmente quando falamos de um trajeto internacional, é fundamental ter nas mãos um checklist de viagem para evitar sérios imprevistos. 

Cuidar da documentação e dos trâmites burocráticos, atender às regras de bagagem, pensar em como levar o dinheiro, reservar passagens e hospedagem… são tantos detalhes que é fácil se esquecer de alguma coisa! Para te ajudar a organizar todos os preparativos com antecedência, elaboramos um checklist de viagem prático e eficiente. Confira! 

Checklist de viagem: o que você não pode esquecer 

checklist de viagem

Observação: o checklist de viagem abaixo é direcionado principalmente para trajetos internacionais, mas a maioria dos pontos também vale para os nacionais, ok? 

1. Verifique as exigências da imigração do seu país de destino 

Toda a parte burocrática pode assustar à primeira vista, mas deve ser encarada como prioridade no checklist de viagem. O primeiro passo, antes mesmo de comprar as passagens (no caso das viagens internacionais), é checar quais são as exigências para entrada no seu país de destino. 

Dentre os principais documentos exigidos na alfândega, estão: 

  • passaporte brasileiro válido (saiba como tirar seu passaporte);
  • visto (a obrigatoriedade ou não depende do destino escolhido);
  • comprovante de reserva de hospedagem ou carta-convite (se você vai se hospedar na casa de alguém);
  • passagem de retorno para o Brasil e para demais países, se for o caso;
  • seguro viagem;
  • comprovantes financeiros (para garantir que você tem uma quantia mínima para se manter durante a estadia). 

Em um primeiro momento, você deve focar nos dois documentos que mais exigem planejamento (organize-se para resolver essas questões com antecedência): o passaporte e o visto

Observações sobre o passaporte 

O passaporte é o documento oficial de identificação do viajante e, por isso mesmo, tem uma importância chave para quem quer conhecer o mundo. Se você ainda não tem o documento, o ideal é providenciar o quanto antes – se já tiver, não deixe de checar a data de validade. 

Vale lembrar: se faltam 8 meses para expirar seu passaporte, já dá para tirar um novo. A regra geral para viajar tranquilo é que o documento ainda valha por pelo menos 6 meses após a data da viagem. De toda forma, não deixe para a última hora: imprevistos podem acontecer, como dificuldades para agendamento e falta de papel (sim, acontece). 

Procure a Polícia Federal e solicite o seu documento! Explicamos tudo no link da lista acima. 

Se quiser saber qual é o processo para tirar passaporte de bebê e criança, clique aqui. 

Quando há dispensa do passaporte brasileiro?

Os turistas brasileiros podem viajar pela maioria dos países da América do Sul sem passaporte e nem visto – o RG já vale para passar pela alfândega dessas nações. 

Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela são os destinos que facilitam a entrada dos brasileiros. Viajar pelos países do Mercosul pode ser uma boa pedida para quem quer visitar o exterior, mas não teve tempo para organizar a documentação necessária para a maioria das imigrações. 

Leia Mais: Países que não precisam de passaporte: conheça e viaje só com o RG 

E o visto, quando é necessário no checklist de viagem? 

Para quem viaja a turismo, a boa notícia é que o visto não é exigido em mais de 150 países do globo. É o caso de grande parte dos países da Europa (pertencentes à União Europeia), Nova Zelândia e Tailândia, dentre muitos outros. Vale lembrar que a isenção do visto se dá por estadias de no máximo 3 meses, com poucas exceções.

Por outro lado, alguns dos destinos internacionais mais buscados pelos brasileiros exigem, sim, o visto – é o caso dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, China e Japão. Aqui, é importante ressaltar que os processos de solicitação variam de acordo com os pré-requisitos de cada nação e costumam levar um tempo considerável, exigindo bastante organização por parte dos viajantes. 

Preenchimento de formulários, organização de documentos, entrevistas e idas ao consulado costumam integrar a jornada para a conquista do visto, então não deixe de se preparar com antecedência. Pesquisar as exigências no site da embaixada do seu país de destino também é outro cuidado fundamental. 

Por fim, há ainda o chato (embora pequeno) risco de ter o visto negado. Por esse motivo, é interessante deixar para comprar as passagens só depois de conseguir o documento. 

Saiba Mais: 

2. Cheque seu cartão de vacinação 

Quando o assunto é a vacinação para viajar para o exterior (e para determinadas regiões do Brasil), a febre amarela é a principal preocupação dos brasileiros. De fato, a proteção contra a doença é a mais exigida por países de todo o mundo – e deve constar no seu checklist de viagem.

O mais recomendado, nesse sentido, é tomar a dose integral da vacina contra febre amarela (a fracionada não vale!) e emitir o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP), um documento vitalício. 

Atenção: a vacina da febre amarela deve ser tomada no máximo 10 dias antes da viagem.  

Vale lembrar que o CIVP também pode ser emitido para outras doenças, como a poliomielite. A lista dos países que exigem o cartão internacional costuma variar bastante – o ideal é checar as exigências do seu país de destino no site da Anvisa

Leia Mais: Certificado Internacional de Vacinação: quando e como fazer? 

3. Pesquise e compre suas passagens aéreas 

Com passaporte e visto atualizados e/ou prontos, você está tranquilo para comprar suas passagens. Quando falamos de passagens aéreas, a antecedência também é uma boa aliada – devido a promoções-relâmpago, inclusive, muitas pessoas acabam adquirindo suas passagens antes mesmo de tirar/atualizar o passaporte e o visto. Mas fique atento para não perder os prazos! 

Os aplicativos de passagens aéreas, nesse cenário, são os maiores aliados para economizar e ficar atento às promoções. Quem não tem destino definido para as férias, inclusive, pode se beneficiar muito nessas ferramentas (que listam os lugares do Brasil e do globo que ficam mais em conta em um determinado período). 

Decolar, Skyscanner, Kayak, Google Flights e Melhores Destinos estão entre os melhores apps para monitorar e reservar suas passagens. 

Dica Extra: Aplicativos de viagem: 18 apps que você precisa conhecer

4. Reserve sua hospedagem 

A antecedência também vale para reservar a hospedagem, principalmente se for uma viagem em alta temporada. Quer você esteja interessado em hotel, hostel, pousada ou no aluguel de um imóvel para temporada, a tecnologia mais uma vez é a aposta certa para reservar sua passagem – com mais economia e praticidade. 

Hotel Tonight, Roomer, Airbnb, Booking.com e Hostelworld são algumas das melhores opções para reservar sua estadia, seja no Brasil ou no mundo. 

5. Contrate um seguro viagem 

Se o seguro viagem pode ser pedido na imigração e é um item obrigatório da lista de documentos de uma viagem internacional, a verdade é que (com ou sem exigência) essa precaução é fundamental em todo checklist de viagem que se preze.

Vale lembrar que o seguro viagem é um tipo de plano de saúde de curta duração, que também pode assegurar e indenizar outras situações e imprevistos (como no caso de danos e extravio de bagagem).  

O foco central, entretanto, é mesmo a garantia de atendimento médico em situações emergenciais. Se você tiver um imprevisto de saúde ou sofrer um acidente no exterior, terá que arcar com despesas hospitalares altíssimas se não tiver o seguro. 

Clique aqui para saber mais sobre esse tipo de seguro e nossas dicas para contratar o serviço! 

6. Compre moeda internacional (aos poucos) 

checklist de viagem

Quer você viaje para os EUA (dólares), zona do euro na Europa (euros) ou Reino Unido (libras), o ideal é ir comprando a moeda internacional aos poucos e fazendo sua poupança – dessa forma você evita a instabilidade cambial. 

Com a exceção da Europa e do Reino Unido, a dica é comprar dólares para visitar todos os demais países do mundo. 

Saiba Mais: Como levar dinheiro para viagem internacional?

7. Imprima e salve seus comprovantes de viagem  

Sim, sabemos que todos os seus comprovantes de viagem podem ser salvos no celular. Porém, considerando a correria e o deslocamento típicos das viagens, é bem importante contar com todas essas informações em papel (de preferência em uma pasta ao alcance da mão). 

Isso é especialmente importante quando há uma alfândega envolvida na viagem – tenha tudo à mão, de um jeito organizado e facilitado. 

Além de imprimir seus comprovantes, salve-os também na nuvem (vale mandar os documentos para seu próprio e-mail, fotografá-los com o smartphone ou escaneá-los). Faça cópias de: 

  • folha principal do passaporte;
  • RG;
  • apólice do seguro viagem;
  • passagens;
  • reservas de hospedagem;
  • extrato de cartão de crédito ou cartão pré-pago (para usar como comprovante financeiro). 

Atenção: imprimir seus vouchers de passeios (como entradas de museus e outras atrações) também é uma boa! 

8. Providencie acessórios essenciais para viagem 

Além de peças de roupas essenciais para seu tipo de viagem (como casacos reforçados de inverno para enfrentar baixas temperaturas), é importante lembrar de incluir alguns itens importantes no checklist do que levar: 

  • doleira (para carregar dinheiro e passaporte);
  • adaptador universal de tomada;
  • almofada para pescoço;
  • máscara para dormir;
  • fones de ouvido;
  • meias de compressão (para melhorar a circulação durante voos longos, especialmente no caso de pessoas que já têm problemas nesse sentido);
  • materiais de entretenimento como livros, revistas e outros passatempos. Não são essenciais, mas bastante recomendados 🙂

Vai fazer uma viagem longa de avião? Confira nossas dicas para viajar bem! 

9. Escolha a bagagem ideal e fique atento às regras da companhia aérea 

Com as novas determinações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), as companhias aéreas ganharam autonomia para determinar suas próprias regras sobre peso e medidas (especialmente para a bagagem despachada, que agora é paga na maioria das tarifas). 

Na hora de escolher sua mala (e as malas de toda a família, se for o caso), a primeira etapa é checar o site da sua empresa para verificar as exigências de peso e tamanho de bagagem. Para voos nacionais e a maior parte dos voos internacionais, a mala de mão pode ter até no máximo 10kg. 

Com o devido planejamento, você evita saias justas no aeroporto, incluindo taxas extras, problemas com excesso de bagagem e bagagem sobredimensionada. De forma geral, a mala média ou de tamanho M é uma boa pedida, sendo versátil para diferentes tipos de viagem. 

Planeje-se:

Alugue sua mala! 

Já ouviu falar no serviço de aluguel de malas? Antes de correr às lojas para comprar uma bagagem que vai atulhar sua casa e ser reutilizada poucas vezes, o serviço é uma maneira consciente e sustentável de viajar com a mala ideal – gastando pouco e despreocupando-se com danos e avarias no objeto.  

Ao contar com um serviço confiável de aluguel de bagagens, você pode escolher entre uma variada gama de opções para cumprir as exigências da sua companhia aérea, simplificar todo o processo de adquirir sua bagagem e economizar muito para viajar com itens de qualidade. 

10. Organize a mala de forma otimizada 

checklist de viagem

Quer você viaje só com a mala de mão (que é uma ótima ideia para evitar as taxas de despacho e facilitar o deslocamento) ou também com a bagagem despachada, organizar a mala com inteligência é fundamental para garantir que nada importante fique para trás e que você também não leve itens em excesso. 

De maneira geral, os itens essenciais se dividem nas seguintes categorias: 

  • Documentos e comprovantes (organize os originais e as cópias em uma pastinha específica e de fácil acesso. O planejamento desse item é prioritário no checklist de viagem!!);
  • Medicamentos e kit de primeiros socorros;
  • Nécessaire e itens de higiene pessoal (o ideal é apostar em kits de miniatura para viagem);
  • Roupas pensadas para cada ocasião e que combinem entre si;
  • Sapatos;
  • Eletrônicos (devem ser levados na bagagem de mão, assim como itens frágeis e de valor. 

O que levar na bagagem de mão? 

Dinheiro, documentos, chaves, remédios e eletrônicos devem ser transportados na mala de mão. É aconselhável levar, ainda, uma muda de roupas (caso algum imprevisto aconteça) e uma pequena nécessaire com produtos de higiene básica (pasta e escova de dentes, hidratante etc). 

Vale lembrar que os itens levados devem sempre estar bem acondicionados, de forma a não interferir no conforto e na integridade física dos demais passageiros da aeronave.

Nos voos internacionais, o transporte de líquidos na mala de mão tem regras específicas: eles devem ser armazenados em embalagens de no máximo 100ml. O limite total permitido é de 1 litro (ou 10 frascos de 100ml). Na hora de fazer a mala, certifique-se de guardar esses recipientes em embalagem de plástico transparente. 

ATENÇÃO: Preparamos um material muito legal com dicas diretas e práticas para viajar só com bagagem de mão. Clique aqui para conferir! 

O que levar na bagagem despachada?

Roupas, sapatos e outros objetos de maior peso e dimensão normalmente são levados na bagagem despachada. Como mencionamos, não é aconselhável despachar itens frágeis e de valor – leve-os com você na cabine! 

Se o passageiro transportar uma bagagem despachada sujeita a danos ou de grande dimensão (como bicicleta, esquis, instrumentos musicais e pranchas de surf), ele deve sinalizar o equipamento à companhia aérea antes do voo, efetuando o pagamento de taxa adicional. 

A média geral de peso para bagagem despachada é de 23kg em voos nacionais e 32kg em trajetos internacionais. De toda forma, é indispensável checar o site da sua companhia aérea para verificar regras, permissões e proibições para transporte de itens

Saiba Mais: 5 passos para organizar sua mala como um viajante profissional

Esperamos que nosso checklist de viagem seja útil nas suas aventuras por vir – tornando o processo muito mais simples e tranquilo! Com o devido planejamento, afinal, conseguimos evitar muitos transtornos relacionados a voos, aeroportos e bagagem, tornando a experiência muito mais prazerosa. 

Se você gostou das nossas dicas para não esquecer de nada no checklist de viagem, aproveite para conferir também nosso guia de direitos do passageiro aéreo – parte I e parte II. Boa viagem! 

You may also like