Quais são os prós e contras de viajar sozinho para fora do país?

by

Viajar sozinho é uma questão de gosto pessoal. Tem quem goste e quem odeie. Para fora do país, a solidão costuma ficar mais forte, já que o ambiente é completamente novo e desconhecido. Você faz parte de qual grupo? Aprova ou rejeita viajar sozinho? Está na dúvida? Vamos mostrar que existem prós e contras.

Prós

1) Vou para onde quero e no momento da minha preferência

Se você está viajando sozinho, quem define as regras só pode ser você mesmo. Isso significa que o roteiro é de responsabilidade inteiramente sua. Quem define o horário de acordar e sair para conhecer as atrações turísticas é você. Quem decide parar para almoçar também é você. Como todos nós sabemos, nem sempre é fácil conciliar interesses. Ao viajar com alguém que gosta de museu, sendo que você não suporta, pode haver problemas.

2) É uma oportunidade de autoconhecimento e de amadurecimento

Essa é uma das razões para o intercâmbio fazer sucesso. Os pais mandam o filho para fora do país em um lugar distante para que ele possa se virar. Trata-se de uma oportunidade de amadurecimento. Mais do que isso: é uma forma eficaz de se autoconhecer, já que viajar sozinho envolve diversos desafios que estimulam o ato de “olhar para dentro” com o objetivo de compreender suas forças e fraquezas.

Para as mulheres, que vêm conquistando com justiça nos últimos anos espaço cada vez maior na sociedade, viajar sozinha é uma vitória. Essa atitude era considerada impensável tempos atrás. O empoderamento feminino é assunto de post recente.  

3) O estímulo é maior para fazer amigos

É natural que você procure se relacionar com as pessoas do país de destino. Por estar sozinho, tentará fazer amizade, ainda que ela seja temporária e dure somente os dias de permanência no local. Com o passar do tempo, aliás, por causa do incômodo causado pela solidão, a tendência é que você queira fazer cada vez mais amizades. Talvez você queira até mesmo distribuir abraços gratuitos. 😉

Contras

1) Não há ninguém para compartilhar os bons momentos

Viajar é conhecer coisas novas. O desconhecido está geralmente presente. Nosso comportamento é querer compartilhar essas descobertas com as pessoas amadas. Como elas não estão por perto, pode surgir uma enorme frustração, que deve ser encarada com naturalidade. Claro que fazer amizade na viagem ameniza esse sentimento negativo, como falamos em um dos tópicos favoráveis a viajar sozinho.

2) Não há ninguém para recorrer nos maus momentos

Caso imprevisto ou dificuldade ocorra na viagem, você terá que resolvê-lo sozinho. Falamos não apenas de uma gripe, ou seja, de uma doença ou indisposição, mas também de uma conexão de voo perdida ou de um problema burocrático. Contar com um companheiro de viagem nesses momentos é no mínimo reconfortante.

3) Não há ninguém para rachar os gastos     

Não é barato fazer um mochilão que se estende por muito meses. Nesse contexto, ter alguém para rachar os gastos que são muitos ao longo da viagem pode ser a solução para não comprometer as finanças pessoais. Nos países de moeda mais forte, como Estados Unidos e os da Europa, uma simples refeição pode custar uma fábula. A conversão para o real já vira motivo de pânico.

Viajando sozinho ou não, nossa dica é compartilhar a mala de viagem

A GetMalas é uma empresa inserida na economia compartilhada que oferece o aluguel de mala de viagem como alternativa à compra desse produto. Para que comprar mala, que ocupa espaço e é usada apenas uma ou duas vezes por ano, se você pode alugá-la por um valor acessível que cabe no seu bolso? Acesse o site da GetMalas e faça seu pedido para que a gente entregue aí no conforto da sua casa!

 

O que achou do post de hoje? Estamos curiosos para saber sua opinião!  

You may also like