como-viajar-gastando-pouco

Afinal, como viajar gastando pouco?

by

Já vamos começar com uma boa notícia: sim, é possível economizar (bastante) ao viajar.

Se, por um lado, os custos totais podem oscilar a depender do destino escolhido, dos meios de deslocamento e da percepção do que é uma viagem econômica – que varia de acordo com o orçamento de cada um – , existem dicas gerais que são uma verdadeira mão na roda para viajar gastando pouco.

Com isso em mente, elaboramos este artigo com orientações valiosas para te ajudar a viajar sem comprometer as contas. Acompanhe!

Como viajar gastando pouco: 5 dicas imperdíveis

como-viajar-gastando-pouco2

1. Não tem destino certo? Vá pelas passagens mais em conta!

O deslocamento é um dos principais gastos de uma viagem e, nesse cenário, quem não tem um único destino em mente já sai ganhando. Isso porque estar aberto a explorar novos e diferentes lugares também permite uma maior flexibilização na hora de buscar as passagens.

Para aqueles que possuem maior liberdade de datas, fica ainda melhor. A aventura e o prazer de visitar um local inesperado são um bônus!

Nesse momento, a tecnologia é uma grande aliada: em ferramentas como o Skyscanner e o Kayak Explore, é possível pesquisar as passagens mais baratas (seja no Brasil ou no exterior) a partir da cidade de origem informada.

No Kayak Explore, o usuário pode escolher quanto deseja gastar e o tipo de viagem desejado – a partir daí, o recurso informa preços de passagens e pacotes variados em destinos diversos. No Skyscanner, você informa os locais de partida/chegada e tem acessos aos preços das passagens por data, podendo visualizar os dias e meses que ficam mais em conta.

2. Já tem um destino definido? Fique atento às promoções de ferramentas de viagem  

Para aqueles que já têm um destino definido em mente, a busca por pagar barato no deslocamento pode continuar. Nesse sentido, quanto antes você começar a se planejar, melhor: acione notificações de aplicativos e sites de viagem como o Decolar, o Google Flights, o Melhores Destinos e outros (incluindo os próprios Skyscanner e Kayak Explore).

Para os viajantes que pretendem se deslocar de ônibus ou carro, ainda há outras opções. Confira:  

Para quem vai voando (dicas extras)

  • Decolar: agência online de viagens que permite pesquisar passagens e pacotes de viagem promocionais por destinos e preços;

 

  • Melhores Destinos: site de promoções de passagens aéreas (também inclui opções de hospedagem);

 

  • Google Flights: portal de buscas do Google que permite explorar diferentes ofertas de voos e hotéis.

Para pegar a estrada

  • Buser: o aplicativo tem dado o que falar! Oferecendo trajetos em ônibus de qualidade, a ferramenta oferece tarifas menores que as convencionais, além de permitir descontos acumulativos à medida em que o usuário divulga o app e conquista novos cadastros. Há também promoções esporádicas a partir da cidade de origem do usuário;

 

  • ClickBus: portal que reúne as ofertas de diferentes viações de ônibus para viagens no Brasil. Nele, é possível fazer o comparativo entre os preços das passagens e já realizar o agendamento da viagem;

 

  • BlaBlaCar: trata-se de um aplicativo de caronas. No BlaBlaCar, é possível tanto buscar caronas de locais próximos a você para o mesmo destino, quanto oferecer carona e baratear os custos com o trajeto. O recurso oferece a opção de avaliar os motoristas e também acesso àlgumas informações de verificação – ainda assim, é bom ficar de olho na confiabilidade do motorista e dos passageiros para sua segurança.  

 

Observação: ficar de olho nas alta e baixa temporadas também é fundamental para identificar os períodos de menores preços. Além da economia, mais tranquilidade e menos lotação em pontos turísticos podem ser ótimos argumentos a favor da baixa temporada!

2. Busque opções low cost de hospedagem

como-viajar-gastando-pouco3

A hospedagem é outro fator que tem grande peso no orçamento de uma viagem. Se ficar em ótimos hotéis e resorts de luxo é uma delícia à parte, a verdade é que opções mais baratas também têm um charme especial que vai além da economia.

Se você tem a oportunidade de se hospedar na casa de um amigo ou conhecido, ainda melhor – sua estadia fica gratuita e você ainda pode aproveitar o destino como um verdadeiro morador local.

Na mesma linha de curtir a viagem como um residente, o Airbnb (plataforma de aluguel de curta temporada) permite alugar imóveis a preços menores que os praticados pelos hotéis e pousadas, embora haja opções para todos os gostos e bolsos.

Para os mais aventureiros, o Couchsurfing é uma ótima opção para economizar e, de quebra, ainda fazer amigos e conhecer pessoas interessantes ao longo da viagem. Se você nunca ouviu falar da ferramenta, explicamos: trata-se de um site que oferece acomodações grátis (sim, grátis) na casa de moradores locais.

Indicado para pessoas mais extrovertidas, flexíveis e abertas a novas experiências, o Couchsurfing pode deixar sua experiência de viagem ainda mais divertida.

Os famosos hostels ou albergues, tão queridos dos mochileiros, também são uma excelente alternativa para gastar menos com estadia, principalmente em quartos compartilhados com 4 ou mais pessoas.

Vale acrescentar que os hostels são ainda mais interessantes para os viajantes solo, visto que são um ambiente muito propício para conhecer novas pessoas e fazer amigos.

Fique atento: o HostelWorld e o Booking.com são sites bacanas para buscar e reservar hospedagens que cabem no orçamento.

3. Fique de olho em opções gratuitas e mais baratas de passeios

Claro que você não precisa deixar de investir em ingressos/entradas para as atrações que mais deseja conhecer (sejam elas museus, parques naturais, restaurantes ou outras).

O mais importante, aqui, é ficar atento às opções gratuitas ou bem baratas de passeios que todo destino tem a oferecer.

É comum, por exemplo, que as cidades maiores ou mais turísticas ofereçam free walking tours, ou seja, tours guiados gratuitos pelos principais pontos turísticos/históricos do local.

Vale muito a pena, ainda, pesquisar os dias da semana com entradas grátis em museus e centros culturais, além de checar as melhores dicas de passeios baratos com moradores locais e recepcionistas da sua pousada, hostel ou hotel.

Se você for estudante, não deixe também de se inteirar sobre as condições de desconto ou meia entrada!

4. Economize na alimentação

como-viajar-gastando-pouco4

Se o orçamento estiver curto, nossas dicas para economizar com alimentação são:

  • Aposte em apps como o Foursquare e Yelp para identificar restaurantes com bons preços nas proximidades, conferindo a opinião dos usuários;
  • Busque opções de estadia com cozinha (você pode cozinhar pelo menos uma das suas refeições diárias);
  • Faça compras de supermercado;
  • Certifique-se de não perder o café da manhã da hospedagem;
  • Fique longe dos bairros e regiões mais turísticos, que costumam ter preços salgados para alimentação;
  • Aproveite as opções de comida de rua e foodtrucks, que ainda permitem experimentar o sabor e a cultura locais.

5. Nada de altos custos com bagagem: considere o aluguel de malas

Priorizar o aluguel, e não a compra de bagagem, tende a ser muito mais econômico – especialmente para quem viaja pouco e precisa de uma mala específica para determinado destino ou viagem.

Ao optar pelo serviço, você paga (pouco) pelos dias em que emprestar a mala, não se preocupa com avarias ou danos nos aeroportos, pode usufruir da praticidade de solicitar e receber a bagagem em casa e ainda não precisa se preocupar com espaço para armazenar o objeto.

Conheça o serviço de aluguel de malas  e economize ainda mais no seu próximo destino!   

Gostou das dicas para viajar gastando pouco? Se tiver alguma dúvida, experiência ou sugestão para compartilhar com a gente, deixe seu comentário! =)

You may also like