A coleta de lixo eletrônico é uma responsabilidade de todos: empresa, governo e cidadão. Somente em 2016, a quantidade de lixo eletrônico gerada no mundo alcançou o recorde de 45 milhões de toneladas métricas, de acordo com estudo da ONU (Organização das Nações Unidas). O peso desse lixo eletrônico todo equivale a cerca de 4,5 mil Torres Eiffel, uma das principais atrações turísticas francesas.

Por lixo eletrônico, devemos entender todo resíduo material produzido pelo descarte de equipamentos eletrônicos. Até mesmo materiais nobres como o ouro vão parar no lixo e acabam não sendo reutilizados. O descarte dos aparelhos a seguir é muito comum: monitores, celulares, computadores, televisores, câmeras fotográficas e impressoras. Todos esses equipamentos se tornam obsoletos com o tempo, já que a tecnologia vem se renovando com muita rapidez.

Saiba abaixo como fazer a coleta de lixo eletrônico em Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

 

1) Belo Horizonte

A BH Recicla trabalha com todo tipo de aparelho eletrônico. Todos aqueles já citados no começo deste post mais fogões, lâmpadas, equipamentos de refrigeração, sucata de cabos e fios elétricos, equipamentos industriais, entre outros.

Acesse o site da BH Recicla e preencha o formulário de coleta de lixo eletrônico. No formulário, você deve informar seus dados pessoais e o endereço do local da coleta, além dos materiais que devem ser coletados. O serviço é totalmente gratuito.

2) São Paulo

Há diversas empresas em São Paulo dedicadas ao trabalho de coleta de lixo eletrônico. A Sucata Digital, por exemplo, recolhe gratuitamente os materiais e, por meio de um processo de triagem, separa componentes de valor superior como alumínio, ferro, cobre, ouro e plástico. Ao fazer isso, assegura que esses recursos sejam reaproveitados.

Para agendar a retirada dos produtos eletrônicos, basta acessar este site. Caso você seja empresário, saiba que pode fazer o mesmo procedimento em sua empresa. Nesse caso, a Sucata Digital oferece uma remuneração em troca do material eletrônico cedido.

3) Porto Alegre

Na capital do Rio Grande do Sul, destaque para a coleta de lâmpadas fluorescentes. No mês passado, a Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) divulgou uma lista com 45 pontos de recolhimento – 14 deles em Porto Alegre.

Você sabia que as lâmpadas devem ser coletadas e transportadas inteiras? Se elas quebrarem, espalham automaticamente na atmosfera o gás mercúrio. Caso sejam descartadas de forma inapropriada, ocasionam ainda a contaminação de rios, solos e alimentos. O destino deve ser uma planta industrial dedicada ao descarte correto desse material. Nesse local, o gás é filtrado, enquanto o vidro e o alumínio, depois de descontaminados, são reaproveitados.

4) Rio de Janeiro

A cidade do Rio de Janeiro recebe milhões de turistas todos os anos. O principal motivo está na sua beleza natural. Nesse contexto, a proteção do meio ambiente precisa ser prioridade não apenas para o governo como para cidadãos e empresas.

No Rio, há diversos pontos que recebem material eletrônico. Veja aqui os lugares que aceitam esse tipo de material. Preste atenção no horário de funcionamento, que costuma ser diferente nos pontos de coleta, para não perder viagem. Como nas outras cidades, há também a solução de coleta de lixo eletrônico para empresas oferecida pela Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Lixo Céu Azul.

 

A coleta de lixo eletrônico é uma responsabilidade de todos nós! A GetMalas apoia toda e qualquer iniciativa ligada ao desenvolvimento sustentável.